Blog

5 formas de começar a escrever um livro

Há muitas formas de começar a escrever um livro. A primeira linha ou o primeiro parágrafo podem vir depois de muito avanço — e não necessariamente no começo do processo de escrita.

Começar com algo no estilo do famoso “Era uma vez…” pode ser bom — mas, dependendo do gênero, não vai ser o suficiente. Então que atitudes o escritor pode tomar para iniciar sua obra? No post de hoje, apresentamos algumas ótimas soluções! Vamos lá?

Deixe para começar depois

Muitas vezes, o desenvolvimento do livro pode vir antes da primeira frase. Afinal, as reescritas costumam ser tantas, que muita coisa muda até que a obra seja finalizada. Dependendo do gênero literário que você escreve, não adianta mesmo querer começar pelo começo!

Pode parecer besteira, mas não é. Um livro de poemas pode ser reestruturado várias vezes, até que se encontre o texto que dará início à obra. Já um romance pode depender de muitas coisas para que se decida seu começo. Pode ser melhor recomeçar várias vezes, até que o início da trama se defina. Dessa forma, você se sentirá mais seguro para construir a introdução à história.

Comece pelo protagonista

Muitos escritores iniciam sua escrita pela definição e construção do protagonista. Dependendo do perfil dele, da vida que ele terá e de sua personalidade, a obra correrá de um ou de outro modo.

Com o personagem constituído, você pode definir melhor como o livro começará, assim como começar a montar o eixo da história. Pode ser que ela se inicie com uma fala enigmática ou com uma cena de crime — isso vai depender muito de como os personagens vivem e interagem e, mais uma vez, do gênero literário em que você está criando.

Preste atenção a frases inquietantes

Alguns escritores relatam que começam um romance com apenas uma frase — que escutaram na rua, no ônibus, no metrô… Eles ouvem algo de passagem, em um corredor, rodoviária ou aeroporto, e pronto. Aquela frase fica na memória — o autor pode até anotá-la ou, então, simplesmente decorá-la — e o escritor passa a trabalhar ao redor dela.

Isso pode ser fantástico para despertar um argumento, um parágrafo ou, até mesmo, um livro inteiro. Estar atento às conversas e às palavras ao redor pode ser uma fonte infinita de inspiração!

Inspire-se no que você observa

Diz-se que todo escritor tem uma antena ligada nos acontecimentos, sendo um bom observador. Isso pode realmente fazer muita diferença! Assim como as frases ouvidas por aí, uma situação observada — ou mesmo inventada, a partir de um único instante que você observou — pode ser o começo da construção de uma boa história. Ter um roteiro ou um esboço de trama na cabeça pode ser a fundação de um poema, romance ou conto.

Leia muito e tenha contato com outros textos

É quase impossível ser totalmente original. As histórias de hoje vêm de outras, inspiradas em leituras, em narrativas de jornais, revistas, televisão, cinema, jogos. E isso não importa! O que interessa é formar um bom repertório, tanto do verossímil quanto do absurdo, para partir sempre de algum lugar de referência.

A leitura fomenta fortemente as ideias de um escritor. Inspirados em outros textos, eles têm ideias que se transformam em obras interessantíssimas. Um exercício bom pode ser observar como grandes romances começaram, quais são suas frases iniciais e como estas prendem o leitor assim que ele inicia a leitura.

É claro que cada pessoa precisa descobrir seu modo ou seu método de escrita próprios — a forma de disparo, de iniciar uma obra. Mas, com nossas dicas, você encontrará inspiração para começar mais facilmente — especialmente se você quiser experimentar novos processos.

Como criar um livro depende do despertar de cada autor. E você, que métodos utiliza para encontrar inspiração? Tem outras dúvidas sobre o assunto? Quais são as frases mais marcantes da literatura, para você? Deixe seu comentário e conte tudo pra nós!

 

39 Comments on “5 formas de começar a escrever um livro

  1. Uma dos meus método prediletos é fazer play list’s relacionadas com o tema do livro inspiração não falta!

  2. Obrigado pelas dicas, o ESCRITOR é como a vida, precisa estar sempre atento aos acontecimentos e ter sabedoria para entender que nunca esta pronto.

  3. Pode parecer loucura, mas minha inspiração vem da revolta. Do cansaço. E da repetição de músicas.

  4. Minha inspiração sempre vem de conversas a minha volta, ou de antigas brincadeiras dramáticas que eu tinha com a minha prima na infância. Era uma mais louca que a outra! E quem diria que elas poderiam virar romances? Tipo, éramos apenas crianças! Gostei muito do post, e me identifiquei em muitas partes. Espero o próximo ansiosamente.

  5. Muito legal.
    Comigo do nada vem uns fleches em forma de idéias aí eu paro tudo e escrevo.

  6. Eu me refúgio em minha casa em Pedra de Guaratiba…
    Onde a solidão noite a dentro me conecta com o mundo, entre conversas com amigos pelo mundo e reflexões, as páginas vão nascendo.
    Minha maior fonte de inspiração vem de dentro da minha cabeça, momentos vividos, fatos presenciados no dia a dia, livros que li, autobiografia de escritores do século passado… Uma fonte inesgotável.

  7. Minhas inspirações vem do meu dia a dia e tudo que vivencio, e o que os meus amigos e familiares vivenciam…Isto é mt bom, porque de um simples acontecimento que pra eles não tem importancia, para os leitores isto pode ser um bom acontecimento…

  8. Inspirado no filme “Planeta proibido” de 1956, onde os Krells, que habitavam o Planeta Altair-4, criaram uma descomunal máquina que realizava desejos, Gene Roddenberry entendeu que caso o cérebro racional se junte com a imaginação controlada, a força tarefa formada por esses 2 super poderes intelectuais poderá comandar o gigantesco subconsciente humano, poderá realizar coisas incríveis, e poderá fazer com que sejamos saldáveis e felizes…
    E produziu a série Star Trek, pois apesar do subconsciente humano nunca dormir; ser maior, e mais forte do que o consciente; e ser a máquina mais sofisticada que o planeta Terra já conseguiu produzir…

    Como o subconsciente não racionaliza, e funciona de forma automática, caso o minúsculo cérebro racional se junte com a sofisticada imaginação, será possível comandar o gigantesco subconsciente humano de tal forma, que graças à ciência, e ao fato das fraudes religiosas estarem sendo desmascaradas; em breve os humanos mais equilibrados deixarão de acreditar nos Demônios, no Inferno, e na mitológica Vida depois da destruição do cérebro.
    Pois as religiões não passam de uma muleta psicológica, ou de um “casulo”, onde nos escondemos da realidade, e permitimos que os camelôs da fé controlassem a massa; usando a ideologia do medo, as mitológicas recompensas depois da morte, e o fator Deus; para vender “milagres” aos devotos, e se aproveitar do desespero das pessoas…

  9. Gostei muito desse tutorial e quero lançar brevemente meus livros um de crônicas e o outro evangélico.
    Esse último estarei concluindo brevemente e quero contar com vocês para editar e publicar.
    Mas no momento estou sem dinheiro.
    Meu email é jjsound45@gmail

  10. Além da observação, muitas cisas que leio sobre os temas que aprecio servem de inspiração para escrever

  11. A “frase inquietantes” foi o que me inspirou a escrever meu primeiro livro, quando estava no ponto de ônibus e uma frase martelava minha cabeça: “VALE A PENA?”. Foi ali, no ponto de ônibus, que nasceu a inspiração para meu primeiro livro: Vale a Pena Carregar a minha Cruz? ”. que será lançado em breve pela Autografia. Após o lançamento, investirei em Audiobook, espero ter o apoio da Autografia para mais este novo desafio…

    Parabéns Autografia, sensacional!

  12. Como sou professora e tenho 3 filhas, estou sempre em contato com crianças. Essa é minha maior inspiração para escrever histórias para esse público. Através de momentos ou situações vivenciadas no dia a dia, as ideias fluem.

  13. Eu me inspiro nos momentos tristes da minha vida. Problemas pessoais com amigos e frases q eu mesma falo,como bordões por exemplo. Me inspiro também em histórias q crio na minha mente. Estou escrevendo meu primeiro livro aos 16 anos.

  14. Olábruxa
    Meu primeiro livro que está em e-book e que ainda este ano gostaria de lançá-lo. Quem sabe a “autografia” me dá uma forcinha? “Era bruxa ou fada?” infantil.
    Belo artigo! Abraço

  15. Gostei muito das dicas! Estou escrevendo histórias infantis e gostaria de publicá-los… Já tenho três prontas…

  16. Eu me inspiro na sociedade e principalmente nos seus erros. Como escrevo ficção, procuro ler livros desse tipo que me fazem imaginar um monte de coisas…

Leave a Comment